Publicidade

dinheiro com você

5 mentiras financeiras para você eliminar da sua vida

Algumas frases são repetidas sem a devida atenção ao significado. São frases mentirosas que podem atrapalhar o seu desenvolvimento pessoal e financeiro.

| Dinheiro com Você -

Quem nunca ouviu por aí a mais clássica das frases mentirosas sobre dinheiro? Essa aqui: o dinheiro não traz felicidade. E como esta, existem muitas outras falácias do mundo financeiro, que terminam prejudicando a visão financeira de muita gente.

Então nesse texto vamos analisar 5 dessas mentiras sobre finanças pessoais, e porque elas são frases que não expressam a verdade sobre cada assunto:

1. Dinheiro não traz felicidade

No dicionário, felicidade significa qualidade ou estado de feliz. Estado de consciência plenamente satisfeita. Satisfação. Contentamento. Bem-estar.

Sim, existem situações onde a gente consegue experimentar essa satisfação, esse contentamento, com coisas que não podem ser compradas. Mas o amplo conceito de felicidade vai mais longe.

Pense num sujeito que mora mal, que tem dificuldades para conseguir um bom atendimento médico, que não consegue pagar por uma boa educação para ele e sua família, que não consegue viajar, e por aí vai.

É bem razoável a gente dizer que o dinheiro é uma ferramenta poderosa para ajudar essa pessoa a suprir tudo isso. Aliás, eu costumo dizer que dinheiro serve para comprar conforto e paz. E essas duas coisas contribuem bastante para mantermos o nosso estado de feliz, como diz o dicionário.

Então, se dinheiro não traz felicidade, a falta dele pode ser uma verdadeira tristeza em nossas vidas. Então, cuide bem do seu dinheiro.

Leitura sugerida: Como ganhar mais dinheiro para pagar suas dívidas?

Foto: Te lensFix (por Pexels)

2. Fazer um empréstimo é sempre ruim

Na verdade, depende. O ideal é que ninguém precise fazer empréstimos. Só que não temos controle total de nossas vidas. Imprevistos acontecem.

Às vezes o colchão financeiro não deu conta de uma doença grave que apareceu sem avisar. Ou veio aquela crise, que colocou a empresa à beira da falência. Fazendo uma boa gestão de riscos, em situações específicas, um empréstimo pode ajudar sim.

Tem também os casos de trocas de dívidas, onde se faz um empréstimo com juros mais baixos para quitar outro com juros mais altos. É uma boa alternativa para quem está começando a colocar as finanças em ordem.

E para os mais arrojados, que querem montar um negócio ou ampliar o negócio atual, mas não querem ou não podem vender bens de valor para levantar um dinheiro, o empréstimo vem em boa hora.

Tudo depende. Cada caso precisa ser analisado em detalhes. Se for bem utilizado, o empréstimo se torna uma ferramenta financeira que pode salvar pessoas e empresas em situações particulares como essas que eu mencionei.

3. Para ficar rico você tem que viver como rico

Uma coisa é você ter mentalidade de uma pessoa rica. Outra bem diferente é querer bancar uma vida de aparências, acima das possibilidades, e achar que com isso vai ficar rico "por osmose". Desse jeito a pessoa vai "quebrar" de vez.

Um indivíduo com mente rica é aquele que investe todos os dias no melhor investimento do mundo: o conhecimento.

Pensar grande sim, mas avançar um ou dois passos de cada vez. Primeiro a gente protege o que foi conquistado e depois avançamos para conquistar mais. Lembrando que enriquecer é um processo lento.

Vídeo sugerido: O segredo para enriquecer quanto tudo vai mal

Foto: Andrea Piacquadio (por Pexels)

4. Quem ganha pouco não consegue poupar e enriquecer

Quem ganha pouco tem ainda mais necessidade de poupar algum valor por mês, por menor que seja.

Dica: se alguém ganha R$ 1.000 e consegue poupar R$ 50, isso já é suficiente para comprar um livro de vendas, por exemplo. Por que vendas? Porque é a profissão mais versátil do mundo!

Sugestão: livro "Como os supervendedores utilizam a inteligência emocional para fechar mais negócios", do Jeb Blount.

Então o sujeito estuda o assunto e no mês seguinte pega os outros R$ 50 poupados e vai comprar alguns produtos para revender com lucro. Tudo em paralelo com o trabalho atual, depois do expediente e nos fins de semana.

Repetindo esse processo de compra e venda algumas vezes, o dinheiro vai crescer. Não demora muito e os R$ 50 vão ter virado R$ 500 e umas semanas depois, R$ 5.000.

E no meio desse processo o cidadão compra mais dois livros: "As Armas da Persuasão", do Robert Cialdini, e "As 16 Leis do Sucesso", do Napoleon Hill, adaptado pelo Jacob Pétry.

Depois pesquisa sobre produtos com melhor margem de lucro e segue refinando as vendas e o negócio. Daqui a pouco ele vai perceber que é melhor trabalhar só com vendas do que ter um emprego que paga tão pouco.

E assim nasce um empreendedor e uma empresa. Assim uma pessoa deixa de ser pobre e entra no caminho da prosperidade. Dá trabalho? Dá. Cansa muito? Cansa. Mas ser pobre é mais trabalhoso e cansativo ainda.

5. Controlar todos os gastos é excesso de zelo

Ao contrário, controlar todos os seus gastos é um hábito muito importante para você manter a sua vida financeira em ordem.

A beleza de você manter um controle de gastos rigoroso, é ter condições de saber exatamente quais são os itens que mais estão consumindo a sua renda. E isso permite você fazer ajustes e cortes no orçamento, com facilidade.

.

Corrigir essas ideias falsas contribui bastante para que você siga em frente no seu plano de conquistar uma vida financeira melhor a cada dia. Sucesso!

Publicidade