Publicidade

Game ON

Diablo Immortal revolucionou a franquia, mas a que custo?

Jogamos a primeira meia hora do novo jogo da Blizzard, que é free-to-play (ou nem tanto); jogo recebeu muitas críticas por causa do sistema de microtransações

| Game ON TV -

Diablo Immortal

Não tem o que negar ou discordar: Diablo Immortal, novo jogo da franquia, veio para revolucionar. Ele acabou de sair e está quentinho, mas o seu lançamento foi bem turbulento. É bom contextualizar tudo. 

Diablo Immortal é um jogo free-to-play (ou seja, ele é gratuito), sendo lançado para PC e dispositivos móveis com sistema operacional iOS e Android. Essa iniciativa foi muito bem aceita pela comunidade gamer, mas parece que o desdobramento não foi tão bom. 

Jogos free-to-play precisam de outra forma de financiamento, afinal também precisam sobreviver. Por isso, elas adotam o sistema de microtransações (compras de produtos dentro da loja). Isso é comum em diversos títulos, como League of Legends e Fortnite. Normalmente, esses produtos são skins ou itens cosméticos, que não interferem em absolutamente nada no desempenho do jogo. Mas esse não é o caso de Diablo Immortal.

O jogo aderiu ao sistema de microtransações, mas com opções que interferem diretamente no desempenho do jogo. O problema vai além. Alguns streamers fizeram testes e afirmam que se você paga outros produtos, como, por exemplo, o passe de batalha, o seu loot (a famosa coleta de itens após derrotar inimigos) é turbinada; se você não paga, terá uma coleta bem mais fraca. 

Com isso o jogo deixa de ser free-to-play e passa a ser muito mais um pay-to-win (pagar para ganhar). E isso desagradou muito a comunidade. De qualquer forma, se você não ligar para isso e buscar apenas um jogo para se divertir, Diablo Immortal é uma ótima opção.  

Diablo Immortal

O game está com uma história totalmente independente, mas igualmente divertida, seguindo o estilo da franquia. Jogamos os primeiros 30 minutos (que é a missão de abertura) e o resultado foi bem satisfatório. 

Testamos a versão para PC, então a parte gráfica não deixou a desejar. Muito pelo contrário. Os cenários estão bem ricos e detalhados, e as batalhas bem elaboradas e visualmente divertidas (ou seja, muito sangue e explosões). 

Com os celulares e tablets cada vez mais potentes, é bem provável que essa qualidade seja mantida. Um ponto muito positivo é que o jogo está totalmente em português, o que deixa a adesão muito boa.
A jogabilidade também merece destaque, com comandos simples e práticos. Mas, como dito, jogamos a versão para PC. No caso dos dispositivos móveis, isso deve se manter, mas não posso afirmar se ficará igualmente satisfatória. 

Com isso, Diablo Immortal se torna uma ótima opção para quem está a fim de se divertir e não liga para investimentos de microtransações. Na nota do Repórter Nerd, o jogo fica com 8,0. 


Publicidade