Publicidade

tudo agro

Vinhos produzidos com uva desenvolvida pela Embrapa chegam ao mercado

Lançada em 2019, uva BRS Bibiana apresenta alta produtividade e tem excelente potencial para ser ingrediente de vinhos

| Da redação -

Videira repleta de cachos de uvas. (Foto: Pixabay)
 

A uva BRS Bibiana foi lançada em 2019 após ser desenvolvida pelo programa "Uvas do Brasil", da Embrapa. A fruta apresenta alta produtividade e requer menos tratamentos fitossanitários, gerando mais sustentabilidade ambiental e economia ao produtor. A uva ainda tem excelente potencial enológico e é adaptada às condições do clima subtropical úmido da Serra Gaúcha. Agora, chegam ao mercado os primeiros vinhos feitos com a BRS Bibiana. As bebidas estão sendo comercializadas por três vinícolas familiares da Serra Gaúcha: Casa Zottis, Vinícola Cainelli e Vinícola Buffon.  

A BRS Bibiana é uma uva branca e se destaca por ser resistente às podridões de cacho, especialmente pelo fato de que os cachos são soltos e não compactos. O vinho elaborado apresenta perfil sensorial similar às uvas europeias com nível de açúcar, na maturação, em torno de 21 graus Brix e acidez variando de 100 a 120 miliequivalentes (mEq) por litro. 

 

 

LEIA MAIS 

Conheça a importância das raízes do café para a produtividade da sua lavoura

Agricultores têm perfil personalizado na plataforma Gov.br; saiba como acessar

 



"Ao degustar o vinho elaborado com a BRS Bibiana, o perfil sensorial remete sutilmente ao Sauvignon Blanc, uva muito utilizada em diversos países do mundo, mas pouco adaptada à Serra Gaúcha, em função das condições climáticas", explica o pesquisador Mauro Zanus, da Embrapa Uva e Vinho.

"Hoje o consumidor busca novas propostas, vinhos diferenciados; e nada melhor do que elaborar um vinho brasileiro com uma cultivar nacional, como a BRS Bibiana", destaca o enólogo Roberto Cainelli Júnior, da Vinícola Cainelli . 

Além do lançamento da BRS Bibiana, o enólogo conta que a BRS Lorena, outra cultivar da Embrapa, faz sucesso na vinícola desde o seu lançamento. Na última safra, ele inovou e fez o vinho da BRS Lorena passar por barrica de carvalho, o que adiciona uma maior complexidade e novos aromas e sabores. Ele conta que o resultado foi um sucesso, com a produção totalmente vendida e já com um segundo lote atendendo a lista de encomendas.

O frisante da BRS Bibiana, elaborado pelo enólogo Anderson Buffon também nasceu da busca por novidades para os clientes. Ele comenta que conheceu a uva durante uma degustação, promovida pela Embrapa durante a Fenavinho, em junho deste ano, e foi uma inspiração já no primeiro gole. Buffon complementa que os clientes que provaram já gostaram. Por isso, espera que as 400 garrafas elaboradas na vinícola familiar, que fica no distrito de Faria Lemos, de Bento Gonçalves, sejam logo vendidas, abrindo novas oportunidades de mercado para a cultivar. Ele também tem no seu portfólio produtos elaborados com a BRS Lorena.

Juliano Zottis, que fica responsável pela produção das uvas, reforça que as cultivares desenvolvidas pela Embrapa são excelentes para o viticultor pela qualidade e quantidade. Ele destaca que a sustentabilidade que essas cultivares possibilitam, com a redução da aplicação de agroquímicos, é um grande diferencial. Em alguns casos, nas uvas de mesa, é possível a produção orgânica. (Com informações da Agência Embrapa) 

LEIA TAMBÉM 

Sanduíche de picanha: Zé Almiro traz a melhor receita desse lanche saboroso


Publicidade