Publicidade

Rota do Arraiá

Conheça a sanfona de Enok Virgulino, que anima as festas juninas

Sanfoneiro de Americana lança álbum com a participação de grandes artistas brasileiros

| Da redação -

sanfoneiro Enok Virgulino toca há 50 anos e as festas juninas sempre estiveram presentes em sua vida. (Foto: Divulgação)


Sanfona e festa junina fazem uma combinação perfeita. Prova disso é que o sanfoneiro Enok Virgulino toca há 50 anos e as festas juninas sempre estiveram presentes em sua vida.   

"Comecei aos 10 anos e não parei mais. Inclusive, já fiz muitas festas juninas para pessoas importantes, como uma na casa do Faustão, por exemplo", conta. 

Nascido em Parnamirim, Pernambuco, e morando em Americana, o ex-integrante do Trio Virgulino conta que começou tocando sanfona nas quadrilhas nordestinas.    
 
LEIA TAMBÉM 
Hoje é dia de São João; conheça a história do santo junino 
Quer festa? Confira as festanças juninas da Rota do Arraiá na nossa região 
Confira 10 dicas para organizar uma festa junina em casa


"Quando tem festa junina, o primeiro convidado sempre é o sanfoneiro e por isso eu sempre tive essa abertura nessa época do ano. As festas são fortes no Nordeste e eu vivi isso desde Parnamirim. Lá tem muitas quadrilhas organizadas e até mesmo campeonatos de quadrilha. As crianças são incentivadas a dançar quadrilha para ganhar pontos nas provas da escola", conta. 

Enok Virgulino está lançando o disco "Enok Virgulino Convida" que conta com nove faixas e participações muito especiais de artistas reconhecidos em todo o cenário musical, sobretudo no forró, música típica do Nordeste e que faz parte das raízes de Enok. 

"Depois que eu gravei meu novo disco, que conta com a participação de muitos convidados (Gilberto Gil, Tato Falamansa, Chico César, Mariana Aydar, Mestrinho e Geraldo Azevedo), surgiram ainda mais convites para tocar nas festas juninas. Estou tendo uma abertura muito linda e estou tão feliz com isso", revela Virgulino.  

O sanfoneiro lembra de um episódio em que foi convidado para falar de festa junina na Câmara dos Vereadores de São Paulo. Na ocasião tinham muitas autoridades e especialistas, como professores e pessoas desse meio.  

"Cercado de gente importante e com muito conhecimento sobre festas juninas, percebi que eu não sabia exatamente o que eu poderia falar. Então, optei por levar minha sanfona", lembra.  

Então, ele contou as histórias vividas nas festas juninas e em sua carreira de maneira geral. "Cada história desbocava em uma música e assim foi um evento muito agradável. Eu pude falar, contar histórias e ainda tocar e alegrar a todos. O mais importante da minha participação não foi exatamente a teoria sobre as festas, mas sim, minha vivência", conta o sanfoneiro que é apaixonado por festas juninas e sanfona. 
 
LEIA MAIS  
Aprenda a fazer o tradicional pé de moleque de Piranguinho



Publicidade