Publicidade

Educa mais cast

Projeto de leitura dá um importante passo para a educação climática

Iniciativa AcorDar, criada pela Secretaria Municipal de Educação de São Carlos, propõe uso da literatura nas escolas para abordar a relação do homem com a natureza

| ACidade ON -

A partir de um livro, pode-se promover intersecções entre a poética e os mais variados temas contemporâneos. Não à toa, a literatura é um dos recursos mais potentes na educação infantil e o recurso que o projeto AcorDar, criado pela Secretaria Municipal de Educação (SME) de São Carlos, pretende usar como ponte para abordar questões ambientais e as mudanças climáticas com os estudantes do Ensino Infantil e do Fundamental I. 

Segundo Isabela Pellati, bióloga da equipe multidisciplinar da SME e criadora do AcorDar, o projeto que será aplicado em 11 unidades escolares da rede pública, a partir do segundo semestre de 2022, busca transformar a visão de estudantes e professores sobre o seu próprio protagonismo em relação ao meio ambiente. 

"Propomos uma quebra de paradigma. O conhecimento e a capacidade de mudar as coisas não está na figura de um palestrante ou de um líder; está em cada um de nós. Alterando essa percepção, alteramos também a sensação de pertencimento das pessoas, a noção de que zelar pelo meio ambiente é uma tarefa coletiva", destaca a bióloga.

Crédito: Freepik
 

A primeira etapa do projeto de leitura para os professores da rede contou com formações online em Jornadas de Educação Ambiental, realizadas pelo Centro de Formação dos Profissionais da Educação (CeFPE). 

No próximo semestre, as unidades que realizarem o AcorDar trabalharão uma lista de obras recomendadas pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), abordando o tema ambiental e outros tão importantes quanto, como igualdade de gênero e justiça social todos diretamente ligados às 17 diretivas da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). 

Aplicação em sala 

A SME adquiriu os títulos indicados pela CBL e os dividiu em kits, que já foram distribuídos nas 11 unidades integrante do projeto, beneficiando mais de 1 mil alunos. "Muitas dessas obras já existiam nas escolas. Ampliamos as opções e, agora, a ideia é que, a partir do segundo semestre, os professores passem a usá-las, lançando um novo olhar às narrativas, enfocando a relação do homem com a natureza e questões ambientais", pontua Isabela.

Crédito: Freepik
 

Os títulos serão trabalhados em aula ou em Tertúlias Dialógicas, atividade em grupo, na qual cada participante compartilha com os demais trechos da obra que lhe chamaram a atenção e despertaram reflexões ou sentimentos. O grupo é tutorado por um adulto convidado, geralmente pais ou responsáveis dos estudantes, que voluntariamente mediam as interações. 

Outros galhos do projeto 

O trabalho de leitura é apenas um dos braços do projeto AcorDar. Há outras iniciativas que buscam aproximar os estudantes do meio ambiente em atividades práticas estratégia para potencializar a curiosidade e a aprendizagem das crianças. 

É o caso da proposta de criação de hortas pedagógicas nas escolas, até mesmo com o plantio de PANCs, sigla para "Plantas Alimentícias Não Convencionais", espécies que, culturalmente, não fazem parte do prato do brasileiro, mas oferecem inúmeros benefícios à saúde. 

Práticas como essa permitem também a troca de conhecimentos em casa com pais e familiares, invertendo os papeis da aprendizagem, ou seja, fazendo os grandes aprenderem com os pequenos.

Publicidade